29/09/2010

Para o meu pai, sr Auli!



                Para o meu pai, sr Auli! Com todo meu amor.



                Meu pai me ensinou muitas coisas.

                Meu pai me ensinou a gostar de chuva. Na minha infância, quando chovia, meu pai pegava o sabonete e ia la, para a chuva, com os 4 filhos (a caçula era recém nascida e obviamente, não participava) e fazia tanta farra que minha mãe nem protestava. Ou será que nossos gritos de alegria eram tão altos e junto com o barulho da chuva não deixava que ouvíssemos o protesto dela? Enfim chuva forte? La estávamos nós, fazendo bagunça.
                Meu pai me ensinou a não ter medo de escuro. Na década de 60 os apagões eram frequentes no Rio de Janeiro e bastava acontecer um para o meu pai estar lá, fazendo sombras na parede, usando apenas as mãos e a luz das velas. Não tinha tv? Mas tinha teatro de sombras da melhor qualidade. Minha mãe costumava pingar a parafina na mão e fazer bolinhas de parafina. Eles gostavam muito de entreter os filhos. Quando as mãos ficavam sensíveis por causa do calor, ela pingava a parafina dentro de um copo de água e depois dividia as bolinhas entre nós, que fazíamos figuras na mesa, com as bolinhas. Mas, com a licença da mamãe, hoje vou continuar falando do meu pai.
                Meu pai me ensinou a gostar de ler. É difícil falar so do meu pai, já que minha mãe gostava muito de ler também e os dois estavam sempre juntos em tudo que faziam com os filhos. Meu pai passava horas de seu tempo livre lendo para nós. E ele interpretava o que estava lendo, mudando a voz de acordo com o personagem. Ele estava sempre sorrindo. Alias, na minha infância, não me lembro de ver meus pais chorando e nem brigando.
                Meus pais me ensinaram a ler a Bíblia e a orar. Lembro-me do meu pai ouvindo as minhas orações antes de dormir e me ajudando a decorar versículos ou poemas para recitar na igreja.
                Meu pai me ensinou a plantar. Uma vez fomos ao sitio de um parente e na volta para casa trouxemos muitas mangas. Meu tio ensinou a meu pai a fazer muda de mangueira e como tínhamos um quintal em casa (mesmo sendo apartamento, o nosso era no térreo e tinha um pequeno quintal) e a imagem do meu pai fazendo a muda ficou gravada na minha mente. Eu tinha apenas 7 anos, mas já fiz mais de 100 mudas de plantas, por causa dele.
                Meu pai me ensinou a não ter medo de tempestades ou ventos forte. Alias eu amo ventanias. Uma vez, saímos para convidar uma família amiga para viajar conosco e era uma noite muito fria e escura. No bairro que morávamos e no que fomos visitar costuma ventar mais forte do que em outros lugares. Lembro-me que, na volta, minha garganta começou a doer e eu já estava cansada demais, meu pai me agasalhou com seu casaco e me colocou no colo enquanto caminhávamos para casa. E era tão reconfortante, que nem a escuridão da noite ou o uivo do vento nas árvores foram capazes de tirar a paz e o conforto que eu estava sentindo nos braços do meu pai.
                A vida levou meu pai para longe de mim, por uns breves anos. Mas nada nem ninguém podem apagar ou roubar as lembranças que eu guardo como um tesouro. Meu pai me ensinou muitas coisas mais, como ser trabalhadora, por exemplo. Até hoje ele trabalha e muito, acordando sempre muito cedo.
                Pai, tenho um orgulho imenso e uma alegria maior ainda de ser tua filha. Os pais ensinam muito mais pelo exemplo do que falando e os exemplos bons que o senhor nos deu sempre falaram mais alto do que qualquer outra coisa que tenha acontecido.
                Te amo muito e peço a Deus que te abençoe e te guarde.
                FELIZ DIA DOS PAIS!



                A todos os pais que estiverem lendo esta postagem: Feliz dia dos pais!



Print Friendly and PDF

Nenhum comentário:

Postar um comentário