30/09/2010

"Seja a mudança que você quer ver no mundo."


              Essa eu recebi por e-mail e repasso para que cada um possa fazer a sua análise.
           
              "Seja a diferença que você quer ver no mundo".

                                                        Mahatma Gandhi


              Olá amados, paz!

              Vale à pena ler a pastoral...

              Deus está se movendo e a vontade dEle prevalecerá. Mas nunca devemos esquecer de que Ele usa a igreja, para por meio dela, realizar seus propósitos...

             Queridos,



               Hoje me lembrei do sermão pregado pelo pastor luterano à  época do nazismo,  Martin Niemöller:

"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei.

No dia seguinte vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei.

No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei.

No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar."

"Para o triunfo do mal basta que os bons não façam nada".
                                                Edmund Burke




              Eu me importo e sinto-me incomodado, por isso quero te mostrar o que está em jogo e denunciar a armação que há nestas eleições.

             Tenho convicção que devemos buscar a direção de Deus antes de definir o voto e fazer uma reflexão sem paixão.

              Segue o artigo  Pastoral para o Eleitor Cristão

                                            Pr.Ezequiel Brasil Pereira



                                           "Pastoral para o Eleitor Cristão

 

           “Fiel é esta palavra, e quero que a proclames com firmeza para que os que crêem em Deus procurem aplicar-se às boas obras. Essas coisas são boas e proveitosas aos homens” Tito 3.8

 

            Como resultado de uma crise espiritual vemos nosso país marcado pelas conseqüências do pecado: a corrupção, exploração e opressão ao pobre. Nosso desejo é que cada homem tenha um encontro pessoal com Jesus Cristo, “porque todos pecaram e separados estão da presença de Deus” (Rm 3.23).

            Nossa prioridade continua sendo o testemunho e proclamação das boas-novas de salvação. Cremos que o evangelho deve ser pregado e vivido de forma plena, produzindo homens e mulheres comprometidos com o amor, a justiça, a paz e o perdão, ideais do Reino de Deus.

             Um cristão comprometido com Deus se levanta contra a iniqüidade em quaisquer das suas manifestações, seja ela ganância, mentira, autoritarismo, homossexualidade, pedofilia, infanticídio, aborto, violência doméstica, corrupção, fome e miséria resultante da exploração. Não fica indiferente à dor do próximo, não se omite diante da injustiça, mas denuncia o mal, o erro, a opressão.

               Um cristão comprometido com os valores do evangelho se porta como “luz nas trevas, como sal” na sociedade insípida. Ser luz e sal é ser exemplo de cidadão, é promover mudanças significativas através do voto e da participação direta em todos os poderes constituídos, Legislativo, Executivo e Judiciário.  Não basta apenas orar pelas autoridades, é preciso acompanhar, fiscalizar e promover mudanças.

               No Dia 03 de Outubro (em primeiro turno) iremos escolher nossos representantes: Presidente da República, dois senadores, deputado federal, governador e deputado estadual.

              Conclamamos os cristãos ao exercício da cidadania, a participarem destas eleições que representam possibilidades, oportunidade de mudança e transformação social.

              Nestas eleições há candidatos comprometidos com projetos de leis que representam sérios riscos à liberdade de expressão dos cristãos. Esses candidatos querem amordaçar o Ministério Público e a imprensa e posteriormente, se eleitos, vão trabalhar para amordaçar padres e pastores. 

             Isso já é fato em outros países. A Venezuela fechou jornais, rádio e televisão que faziam oposição ao governo Chavez; na Argentina a presidente Cristina Kirchner adotou uma política de intimidação e retaliação aos veículos de comunicação; Na Inglaterra, o bispo anglicano Anthony Priddis foi processado por ter-se recusado a empregar um homossexual declarado (lá foi aprovada a “Lei de Orientação Sexual”, semelhante à PLC 122/2006 que a candidata Dilma Rouseff, caso seja eleita presidente, pretende sancionar). Na Suécia, em julho de 2004, o pastor Ake Green foi condenado a um mês de prisão por ter feito um sermão contra a homossexualidade.

              Nós, evangélicos batistas, cremos e defendemos com ardor a liberdade de expressão e a igualdade entre todos os homens e mulheres. Embora não tenhamos nenhuma simpatia pelas seitas, ateísmo e agnosticismo, nós defendemos o direito das seitas, a liberdade do ateu, do agnóstico e do materialista em suas convicções religiosas ou não-religiosas.

             Cremos que a liberdade de expressão e o direito ao contraditório são um valor universal inviolável, que deve ser preservado ao se criar leis e garantias para as minorias, como os homossexuais. Que as críticas aos valores e estilo de vida homossexual se tratam de matéria de consciência.

              De acordo com a Palavra de Deus, foram criados homem e mulher, conforme Gênesis capítulo 2, especialmente o versículo 24 que diz "por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá a uma mulher, e eles se tornarão uma só carne". A Bíblia registra que a homossexualidade, o lesbianismo ou a pedofilia são  pecados e desvios do curso natural criado por Deus, é errar o alvo daquilo que Deus propõe. Conforme podemos encontrar na carta do Apóstolo São Paulo aos Coríntios, capítulo 6, as conseqüências para aqueles que adotam esse padrão de comportamento é o sofrimento eterno. No entanto essas pessoas também são amadas por Deus, quando buscam o perdão são perdoadas e tem a oportunidade de viver uma nova vida segundo a vontade de Deus. Cremos na restauração de homossexuais que confessam Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Embora não temos os mesmos valores ou estilo de vida que os homossexuais, procuramos relacionar de forma amorosa e respeitosa. Aceitar pessoas não é o mesmo que aceitar suas idéias e valores.

              Uma aliança política tão forte e poderosa como PT-PMDB (Dilma-Michel Temer), constitui-se em uma aliança não recomendável porque não é saudável à Democracia. E mais: é uma aliança que une os desafetos de ontem em torno de interesses pessoais e grupais, de cargos, privilégios e benesses. Se antes de serem eleitos causam escândalos que envolvem tráfico de influência; “mensalão”, quebra de sigilo fiscal, “taxa de sucesso”  e muitos outros casos de corrupção, caso sejam eleitos, como teremos garantia que em outros casos de corrupção haverá investigação isenta e punição dos culpados? Que garantia teremos de que não haverá uma carnificina, aprovando o aborto e não impedindo o infanticídio de crianças indígenas inocentes?

            Por fim, considerando o que está em jogo nestas eleições, apresentamos nossa orientação pastoral para o eleitor cristão:

1.      Seja um eleitor fiscal. Denuncie a compra de votos. Você pode filmar ou fotografar com seu telefone celular a irregularidade, que poderá ser usada como prova para abertura de procedimento pelo Ministério Público Eleitoral. As denúncias podem ser encaminhadas à polícia ou Cartórios Eleitorais, que são rápidos em encaminhar ao Ministério Público.  

2.      Não votar em branco ou se abster do processo eleitoral e nem votar em candidatos que abusam do poder econômico.

3.      Ser cauteloso com aliciamento, não permitir a venda de votos ou troca por qualquer coisa como: cesta básica, telhas, tijolos e emprego em repartição pública.

4.      Procurar conhecer propostas de trabalho e plano de governo. Procurar conhecer idéias favoráveis e contrárias sobre um mesmo candidato. Procurar se informar com as pessoas que conhecem o candidato, e se informar por mais de um veículo de comunicação que não pertença ao mesmo grupo empresarial, como: Jornal, Televisão, Rádio e Revistas.

5.      Não votar em candidatos simplesmente porque são evangélicos ou porque são recomendados pela igreja. Muitos não são preparados e estão causando vergonha ao nome do evangelho (melhor seria se não fossem cristãos). Muitos participam da política para tirar vantagem para si e para sua Igreja, não pelo ideal de servir a toda sociedade. São despachantes evangélicos, visam ao poder pelo poder.

6.      Não fazer julgamento precipitado sobre o que ouviu dizer. Ser cauteloso com candidatos elitistas (estão distantes do povo) ou apoiados por grandes grupos econômicos. Ser cauteloso com candidatos tradicionais ou políticos artificiais, sem passado político ao lado dos movimentos populares.

7.      Não votar em demagogos que prometem obras irrealizáveis ou que sejam comprometidos com o populismo manipulador.

8.      Ser cauteloso com partidos políticos artificiais.

9.      Procurar pesquisar a história do candidato: Por quantos partidos passou? Por que mudou de partido? Quais os seus aliados? Quais os seus posicionamentos políticos? É a favor do aborto? Defende a vida de crianças indígenas ameaçadas de morte? Defende a liberdade de expressão? É ficha limpa? O candidato recusa falar do seu próprio passado? Já disputou quantas eleições? Já fez parte de Movimentos Populares, sindicatos, associações? Que segmento da sociedade ele representa?

E por fim, assim como em todas as eleições, movido por convicções e contra a vontade de pastores conservadores, defendi, escrevi e recomendei voto no Lula e no PT; hoje, com tristeza, digo o contrário: NÃO VOTEM NA CANDITADA DO PT E DE LULA.

 

                        Goiânia 18 de Setembro de 2010
 

                                   Pr. Ezequiel Brasil Pereira"

Print Friendly and PDF

Nenhum comentário:

Postar um comentário